Faial

  • hospitalHORTA

    Apesar das obras de aumento e remodelação realizadas no Hospital da Horta nos últimos anos, nomeadamente o novo Bloco C e o serviço de urgência, a CDU Faial manifesta uma grande preocupação relativamente ao estado de conservação e funcionamento do Bloco A, não intervencionado. Neste bloco, o mais significativo de todo o Hospital no que respeita à sua utilização, funcionam os blocos operatórios e os serviços de Cirurgia e de Medicina, entre outros.

    Não tendo sido alvo de qualquer remodelação aquando da construção do novo bloco, cedo se percebeu de falta de planeamento na decisão de aumentar o Hospital. O Bloco A está altamente degradado em geral, com canalizações completamente deficitárias e um sistema de refrigeração muito desadequado – para não dizer inexistente. Tratando-se do “coração” do Hospital, os profissionais que lá trabalham são os primeiros a afirmar que o perigo para os doentes está à espreita.

  • Foto Tribunal

    A CDU procedeu hoje, 11 de setembro, à entrega da lista dos seus candidatos pelo círculo eleitoral da ilha do Faial às eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, de 25 de outubro próximo. Para além da cabeça de lista Paula Decq Mota, acompanhada por outros candidatos, marcou também presença o mandatário Carlos Fraião, advogado de profissão.

  • IMG 20200905 163252 2 1 1

    Largas décadas se passaram desde que as questões ecológicas e ambientais começaram a procurar tornar-se prioridade, mas entre notícias, anúncios e anseios por concretizar o tempo passa e as grandes mudanças tardam. Um dos exemplos que temos nos Açores é o abandono do investimento em energias renováveis no Faial, cujo parque eólico e central hídrica produzem nem 15% do total de energia elétrica que consumimos.

    Os números não mentem: em 2019, 37% da eletricidade produzida no arquipélago proveio de fontes renováveis e endógenas. No mesmo ano, só 14% da energia faialense veio do parque eólico instalado no Salão e 0,011% da hidroelétrica do Varadouro.

    Pode haver quem ache suficiente, mas continuamos muito atrás do que se ambicionava para 2020 e o futuro não parece prometedor. Em fevereiro deste ano soube-se que a EDA irá investir 205 milhões até 2024, sendo que desses vão 158 milhões para aproveitamento de energias renováveis e sistemas de armazenamento de energia.

    De todos os investimentos apenas um para o Faial: um parque fotovoltaico com capacidade de 1,5MegaWatts, a instalar em 2022, o que corresponderá a 4,8% da energia consumida. Ou seja, a correr bem teremos 20% de energia renovável e endógena instalada até meados desta década.

    Relembremos:

    Em 2002 foi inaugurado o parque eólico da Lomba dos Frades, mas a proximidade com habitações levou a protestos da população da Praia do Almoxarife e obrigou à paragem das turbinas entre as 02:00 e as 07:00 todos os dias. Nunca produziu mais de 5% do total consumido;

    Entretanto desmantelou-se o parque e em 2012, quando o parque eólico faialense passou da Lomba dos Frades para os arredores do Cabouco disseram-nos que os cinco aerogeradores poderiam assegurar 20% da energia consumida no Faial, algo que nunca aconteceu;

    Em janeiro de 2014 a EDA instalou um sistema Microgrid AAB nas turbinas, software que nos disseram permitir gerar 75% da nossa eletricidade a partir de fontes renováveis até 2018, o que nunca aconteceu e nada mais se sabe deste projeto;

    A central hídrica do Varadouro tem tecnologia ultrapassada e a produção de apenas 0,011% diz muito da necessidade de investimento urgente tanto no equipamento como nas infraestruturas das Levadas.

    Em outubro de 2019 a utilização de energia renovável dos Açores foi de 39%, bem abaixo dos 59% produzidos em território continental.

    Numa Região que se diz verde, amiga do ambiente, exemplo no mundo, continuamos a ficar muito aquém do nosso potencial nesta matéria. O investimento da EDA em soluções de armazenamento de energia permitirá reduzir o desperdício que atualmente acontece, lamentavelmente o Faial continuará a ver navios e a importar a esmagadora maioria do que precisa quando deveria estar a caminho da autossuficiência energética.

    A CDU Faial acredita que muito mais pode ser feito e denuncia o desprezo dado pelo Governo Regional e pela EDA à ilha do Faial nesta matéria. Há que reforçar a capacidade produtiva do parque eólico e da mini-hídrica.

    Por um projeto de futuro para os Açores.

    CDU Faial

  • EscolaEB Horta

    Nos últimos dias, os Encarregados de Educação dos alunos da EB António José d'Avila e da Escola da Vista Alegre ficaram a saber que a Escola não tem recursos humanos suficientes para garantir o prolongamento de horário nestas escolas. Uma notícia que apanhou todos de surpresa, e que vem dar razão à CDU, que há longos anos afirma que o quadro de docentes e não docentes é manifestamente insuficiente. Esta situação, justificada com a necessidade de os funcionários existentes darem resposta às exigências sanitárias decorrentes da prevenção à covid-19, demonstra que são precisos mais funcionários nas escolas -  nesta unidade orgânica, mas não só -, uma luta de sempre da CDU.

  • DSC07726 1

    A CDU Açores realizou no dia 19 de Agosto a apresentação dos Primeiros Candidatos da CDU ao Círculo Eleitoral do Faial.

  • 20200629 092821 1

    Intervenção do deputado municipal, eleito pela CDU, na Assembleia Municipal de 11.06.2020

  • bandeira pcpc

  • ebi hortaO PCP Açores denunciou hoje a falta de assistentes operacionais na Escola Básica António José de Ávila, no Faial. Esta situação demonstra bem a urgência das propostas do PCP/Açores, de mais investimento público e mais contratações para os serviços públicos dos Açores.

    Tendo recebido várias denúncias e queixas nos últimos dias sobre a falta de assistentes operacionais a trabalhar na Escola Básica Integrada António José de Ávila, na Horta, a Representação Parlamentar do PCP deu entrada de um requerimento com vista ao esclarecimento por parte da tutela quanto a esta grave situação.

    Trata-se de uma situação muito preocupante, que inclusivamente já teve reflexos no funcionamento da escola, pois levou ao encerramento, por alguns dias, da valência "prolongamento de horário", afetando assim cerca de 70 crianças e apanhando de surpresa os seus Encarregados de Educação.

    Veja aqui o requerimento entregue

  • CDU Aores

    A cidade da Horta foi uma das cidades portuguesas a assinalar, na passada sexta-feira, com uma manifestação a greve climática global, que decorreu na semana passada em mais de 170 países por todo o mundo.

    A CDU Açores também marcou presença na referida manifestação, sob o lema “o capitalismo não é verde”.

    A CDU Açores congratula-se com a disponibilidade dos jovens e dos cidadãos em geral para agir perante problemas concretos de degradação da natureza, matéria para a qual os partidos que compõem a CDU – PCP e Partido Ecologista «Os Verdes» alertam há quase quatro décadas.

  • 4

    O primeiro candidato da CDU pelo círculo eleitoral dos Açores às Eleições Legislativas de 2019, António Salgado Almeida, visitou a ilha do Faial no âmbito da apresentação do documento programático para a Região. Esta iniciativa contou também com a presença dos candidatos da CDU residentes na ilha do Faial, Paula Decq Mota e Alvarina Céu, e ainda de Marco Varela, Coordenador Regional do PCP/Açores. Os candidatos e outros ativistas da CDU percorreram as freguesias da ilha do Faial, contactando diretamente com os faialenses e dando a conhecer as propostas da CDU para estas eleições. Foram muitos os assuntos debatidos e as preocupações das pessoas foram ouvidas atentamente.

    Em declarações à comunicação social no final da visita o 1º candidato, António Salgado Almeida, reforçou algumas ideias importantes e que correspondem também às questões colocadas ao longo da visita.

  • pavilhãohorta

    O pavilhão desportivo da Horta é uma infraestrutura de extrema importância para toda a sociedade faialense, este pavilhão é utilizado para diversas modalidades, desfiles de Carnaval e outras atividades culturais.

    Por diversas vezes os faialenses assistiram situações caricatas, como a entrada de água das chuvas que impedia a prática de qualquer desporto. Foi nos denunciado que por diversas vezes que os jogos de andebol tiveram de ser transferidos ou mesmo remarcados devido à falta de condições que o pavilhão apresentado. Os balneários já estão praticamente inutilizáveis, sempre que chove o chão cria um lençol de água que torna o pavimento inutilizável e a longo prazo degradado porque a madeira fica danificada e o conforto das bancadas não convidam ninguém a assistir.

  • varadouro2

    O investimento para a recuperação das Termas do Varadouro é um processo que está aberto desde 1999, tendo em conta que o final deste projecto está a ser arrastado sem soluções, a Representação Parlamentar do Partido Comunista Português na ALRAA vem pela via da Recomendação tentar compreender o que é pretendido pelo Governo Regional e Câmara Municipal da Horta em relação a este investimento.

  • A existência de uma boa rede de caminhos florestais em bom estado de conservação é de extrema importância para permitir um acesso cómodo e seguro às explorações agrícolas e a locais de interesse turístico. No entanto verifica-se que a estrada do Cabouco, na ilha do Faial, que faz ligação da Caldeira até à Ribeira Funda encontra-se seriamente degradada, estando o piso em péssimo estado de conservação. Além deste troço, os faialenses continuam a aguardar o arranjo e asfaltagem prometida pelo Governo Regional da Estrada Regional que liga o Largo Jaime Melo para a Ribeira do Cabo. Ou seja, a parte interna da ilha continua desprezada e deteriorada apesar das diversas promessas feitas. Na imagem que se segue vemos sinalizados a verde e vermelho os dois troços referidos:

    rppcp1

  • faialeuropeias

    No dia 17 de maio, Catia Benedetti, candidata da CDU ao Parlamento Europeu, percorreu a ilha do Faial a fim de contatar diretamente com a população das várias localidades. Através do diálogo com os residentes das diversas freguesias procurou-se esclarecer a importância das políticas da União Europeia no dia a dia das pessoas, procurando combater o desinteresse ou o desencantamento que se manifestam na cada vez mais elevada taxa de abstenção.

    A CDU procurou transmitir a mensagem central relativa a este assunto: abster-se, mesmo que as pessoas o façam pensando assim exprimir o seu protesto contra os muitos aspetos negativos das políticas regionais, nacionais ou europeias, nunca é uma escolha eficaz. Pelo contrário, a abstenção é o mais desejado dos votos para as forças políticas dominantes, pois as reforça e impede a mudança que só será possível se as pessoas concentrarem a sua escolha em quem de facto as representa.

  • FOTO M VIEGASA visita de Miguel Viegas ao Triângulo provou, mais uma vez, que só é possível outro futuro para a Região fora da política da União Europeia. Em particular, os constrangimentos à produção regional sentem-se ano após ano, sendo urgente eliminá-los para libertar os meios necessários ao investimento público e para permitir o crescimento económico e social.

    A visita do eurodeputado comunista serviu para demonstrar mais uma vez que as imposições da UE – seja pela dívida pública que afoga o crescimento, seja pelas regras do euro, desadequadas da realidade regional e nacional – não servem os interesses dos açorianos.

    No entanto, as reuniões e contactos que foram estabelecidos serviram também para demonstrar que outra política é possível – exigindo-se no imediato firmeza com Bruxelas, onde mais deputados do PCP podem fazer a diferença!

     

  • 19983832 1713488948955156 8069811017686277092 oHoje, dia 13/7, a CDU/Faial apresentou em conferencia de imprensa, realizada no Jardim Duque de Ávila e Bolama,a primeira candidata da CDU à Câmara Municipal da Horta, Paula Decq Mota, o primeiro candidato à Assembleia Municipal, José Decq Mota e o Mandatário da candidatura da CDU no Concelho da Horta, Carlos Frayão.

  • AMFaial 28Abril2017 3 webOs Deputados Municipais da CDU, José Decq Mota e Renata Lima, apresentaram hoje um voto de saudação ao 25 de Abril e ao 1º de Maio, que foi aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal da Horta.

    A CDU recorda que Quarenta e três anos depois do 25 de Abril, sob o argumento das inevitabilidades, há quem procure activamente lançar uma sombra sob a história e impôr retrocessos nas conquistas sociais e políticas dos portugueses, limitando o seu direito ao progresso, ao desenvolvimento, à justiça social e à felicidade num país livre e democrático. Assim, o assinalar do 43º aniversário da Revolução do 25 de Abril é mais do que a comemoração do momento fundador do nosso regime democrático é sobretudo a afirmação de um desígnio nacional do Povo Português que se projecta no futuro.

  • SATA3 webJoão Paulo Corvelo, Deputado do PCP, questionou hoje o Governo Regional sobre vários problemas que se colocam nos transportes aéreos, em particular nas ligações interilhas.
    O PCP denuncia a recorrente falta de lugares disponíveis nestas ligações, que se torna avassaladora durante os meses de verão, criando problemas graves aos açorianos e limitando o desenvolvimento do turismo na maior parte das ilhas.
    João Paulo Corvelo questiona ainda a política de favorecimento às viagens que obrigam a pernoitas nas ilhas de São Miguel ou Terceira, como um sobrecusto acrescentado às viagens de muitos açorianos e contribuiu para desviar fluxos turísticos, agravando as desigualdades do desenvolvimento económico.
    O PCP considera que que é forçoso atender às necessidades de transporte dessas duas ilhas, levando também em linha de conta a sua dimensão e que se trata aqui de gerir, da forma mais eficiente possível, recursos limitados, mas que isso não pode ser feito à custa da imposição de restrições objectivas ao direito à mobilidade dos restantes açorianos, nem limitando o direito ao desenvolvimento de todas as ilhas dos Açores.
    Assim o PCP quer saber que medidas tomou ou vai tomar o Governo Regional para minimizar as diferenças no acesso ao direito à mobilidade dos açorianos das várias ilhas, nomeadamente, em relação à disponibilidade de lugares nos voos interilhas, em especial nos meses de verão; em relação à política de preços e horários praticados pela SATA, que favorecem, quando não impõem sem alternativa, viagens que obrigam a pernoitas ou escalas noutras ilhas e em relação à necessidade de promover uma distribuição mais equitativa dos fluxos turísticos e dos seus proveitos entre as várias ilhas da Região.

  • JPCorvelo 16Mar2 webNa sua intervenção, no encerramento do debate sobre o Plano e orçamento da região para 2017, o Deputado do PCP, João Paulo Corvelo, criticou a falta de humildade democrática do Governo Regional do PS e apontou a falta de soluções para os grandes problemas da Região. João Paulo Corvelo apontou ainda a falta de empenho na Coesão Regional e considerou que este Plano mantém a orientação para a centralização do desenvolvimento regional num único pólo, pelo que merecerá a oposição do PCP.

  • JPCorvelo13Mar webA Representação Parlamentar do PCP apresentou um conjunto de propostas de alteraçãoàs propostas de Plano e de Orçamento para o ano de 2017 que estarão esta semana em discussão no Parlamento Regional, demonstrando que outras opções são possíveis e que é necessário um novo rumo para a governação regional.
    As propostas que a Representação Parlamentar do PCP apresenta apontam para um desenvolvimento assente na coesão social e territorial e na justiça social, demonstrando que as desigualdades e as assimetrias, que hoje se cavam cada vez mais fundo, não são inevitáveis, são o resultado de opções políticas deliberadas.
    O PCP, tal como sempre afirmou, empenha-se seriamente na construção de soluções políticas que tenham em vista o desenvolvimento harmonioso da região e de todas as suas parcelas, ou seja, das nove ilhas do nosso Arquipélago. Pensamos que só uma estratégia de desenvolvimento baseada nesta premissa e com ideias inovadoras poderá garantir o desenvolvimento da nossa Região.